Como está a evolução das suas metas e planos para 2022?

(11/01/2022)

Prezados clientes e colaboradores:

Não tem jeito, começo do ano todo mundo faz planos. Ir à academia, fazer regime, encontrar mais os amigos… Há mais ânimo para “o milagre da manhã”.

Até por isso, já virou meme que circula no Whatsapp todo réveillon: esse ano a meta é concretizar o que prometi há três anos…

Há vários estudos sobre a importância de planejar e, pelo menos, tentar.

O que pouco se fala é que existem vários tipos diferentes de planejamentos e, muitos deles, não dependem de nós. Podemos fazê-los acontecer com pouco esforço.

Aliás, a palavra planejamento por si só é muito ampla.

As empresas fazem seus “planejamentos estratégicos”, comerciais, de marketing.

O “planejamento financeiro” é outro tipo e tem subespécies. O planejamento que a própria pessoa faz para ter mais dinheiro, poupá-lo ou investir melhor – que é comum nas viradas de ano; e o planejamento em que um profissional é contratado para gerir e administrar o dinheiro e as reservas financeiras da pessoa. Esse é um dos planejamentos que são de fácil concretização; basta escolher um especialista.

E, na verdade, tem um último planejamento, que pode ser decidido no fim do ano para ser implementado no ano seguinte e que não requer nenhum esforço: o planejamento patrimonial.

Trata-se da organização do patrimônio e dos desejos do seu titular (e sua família), para melhorar a eficiência tributária – isto é – não pagar ao Governo mais do que o necessário; para determinar a sequência da sua administração, principalmente na falta do principal responsável pela administração familiar – como vimos, infelizmente, aos milhares desde o início da pandemia; e para proteger contra as incertezas do futuro, que cada vez aumentam.

Este é o ponto em que realmente gostaríamos de chamar à atenção de todos.

Estamos no limiar de um dos anos mais incertos quanto ao futuro do país e do mundo.

Para citar o mais óbvio:

  • esperávamos que a vacina permitisse um novo normal próximo ao passado, mas as novas variantes atingem até quem tomou dose extra de reforço, não havendo perspectivas reais de melhoria (saúde, economia…);
  • teremos a incerteza de eleições, com grupos antagonistas que há muito tempo não eram tão contrários entre si e seus eleitores;
  • os Estados Unidos perderam oficialmente o posto de maior potência econômica.
Por outro lado, tivemos um fôlego que talvez seja o último suspiro para quem quer realmente garantir a estabilidade do futuro de seus ativos, com o menor custo possível.
  • a reforma tributária foi adiada, este ano não teremos tributação sobre dividendos;
  • o ITCMD na maioria dos estados foi mantido, o que não é garantido para os governos que virão;
  • a implementação e a condução de negócios à distância atingiram seu ápice, ainda sem regulamentação formal.

Todos nós sabemos que a virada do ano é só um símbolo. Mas usamos este símbolo para fazer planos que dificilmente se concretizam. Talvez, porque, no fundo, não precisamos do símbolo. Se realmente quisermos, podemos começar a qualquer momento. Não há lei dizendo que dietas obrigatoriamente começam às segundas-feiras.

Com planejamento, 2022 não é um símbolo, mas talvez uma das últimas oportunidades de organizar e proteger o patrimônio com excelência e liberdade.

Evidente que será sempre possível planejar, mas quais os custos? Qual a eficácia? Cada dia mais, está difícil prever.

A equipe da LBZ Advocacia está à disposição para esclarecer as dúvidas de seus clientes e parceiros sobre planejamento patrimonial e auxiliá-los a cumprir pelo menos a meta de ter um futuro mais seguro para seus bens e suas futuras gerações.

Daniel Bijos